Liberdade é ser feliz.

Todos falam de liberdade, mas estamos cada vez mais presos, já pararam para pensar nisso?

Estamos presos na ideia do corpo ideal, magro, sem nenhum pneuzinho (Deus me livre!), sem nenhuma marca, sem nenhuma ruga, sem nenhuma cutícula ou fio de cabelo branco.

Existem cremes e mais cremes antirrugas, anti-idade, anti-isso, anti-aquilo. Comer só coisas sem lactose mesmo que você não seja intolerante. A mesma coisa com o trigo, porque disseram que ele engorda. Chocolate? X-burguer? Não, nunca.

Uma coisa é a preocupação com a saúde, pessoas que realmente têm restrições alimentares, outra bem diferente é esse mundo caótico que dizem que temos liberdade quando, na verdade, estamos nos prendendo cada vez mais. Nos prendendo a estereótipos vendidos pela mídia. Mas pare e pense: isso realmente te faz feliz?

Eu acredito que a liberdade é ser feliz, independente se seu cabelo é natural, pintado, loiro, colorido, preto ou se tem cabelos brancos; liberdade é ser feliz independente do número que aparece na balança, se você é magra porque é o seu biotipo, ou se você tem pneuzinhos porque é seu biotipo, ou se você é gorda porque é o seu biotipo ou simplesmente porque não é seu biotipo e daí?; liberdade é ser feliz se você é homem, mulher, criança, homosexual, bissexual ou heterossexual; liberdade é ser feliz se você tem a pele negra, morena, rosada, amarelada ou branca; liberdade é ser feliz com a pele lisa ou tatuada ou com piercings ou modificações; liberdade é ser feliz podendo ter rugas, é envelhecer sem querer usar cremes ou querer usá-los; liberdade é ser feliz ao sair de casa usando a roupa que quiser sem ser julgado ou apontado ou rotulado; liberdade é puramente e simplesmente ser feliz.