Liberdade é ser feliz.

Todos falam de liberdade, mas estamos cada vez mais presos, já pararam para pensar nisso?

Estamos presos na ideia do corpo ideal, magro, sem nenhum pneuzinho (Deus me livre!), sem nenhuma marca, sem nenhuma ruga, sem nenhuma cutícula ou fio de cabelo branco.

Existem cremes e mais cremes antirrugas, anti-idade, anti-isso, anti-aquilo. Comer só coisas sem lactose mesmo que você não seja intolerante. A mesma coisa com o trigo, porque disseram que ele engorda. Chocolate? X-burguer? Não, nunca.

Uma coisa é a preocupação com a saúde, pessoas que realmente têm restrições alimentares, outra bem diferente é esse mundo caótico que dizem que temos liberdade quando, na verdade, estamos nos prendendo cada vez mais. Nos prendendo a estereótipos vendidos pela mídia. Mas pare e pense: isso realmente te faz feliz?

Eu acredito que a liberdade é ser feliz, independente se seu cabelo é natural, pintado, loiro, colorido, preto ou se tem cabelos brancos; liberdade é ser feliz independente do número que aparece na balança, se você é magra porque é o seu biotipo, ou se você tem pneuzinhos porque é seu biotipo, ou se você é gorda porque é o seu biotipo ou simplesmente porque não é seu biotipo e daí?; liberdade é ser feliz se você é homem, mulher, criança, homosexual, bissexual ou heterossexual; liberdade é ser feliz se você tem a pele negra, morena, rosada, amarelada ou branca; liberdade é ser feliz com a pele lisa ou tatuada ou com piercings ou modificações; liberdade é ser feliz podendo ter rugas, é envelhecer sem querer usar cremes ou querer usá-los; liberdade é ser feliz ao sair de casa usando a roupa que quiser sem ser julgado ou apontado ou rotulado; liberdade é puramente e simplesmente ser feliz.

Abaixo de 15°C.

As temperaturas abaixo de 15°C finalmente chegaram. Ontem choveu a madrugada toda e deu muuuuito vento, achei que a casa ia sair voando. Diz a lenda que deu um ciclone em Itajaí. Vi umas fotos, mas não sei se são reais, sabem como é hoje em dia, né?

Aí hoje o dia todo passei editando, vendo uns detalhes da casa, recolhendo e dobrando roupa, colocando outras para lavar e pendurando outras. Afinal, fotógrafos fazem mais do que só apertar um botão, hehe. Colocamos a lareira – que compramos em janeiro!!! – no lugar onde gostaríamos que ela ficasse e vamos ver se vai dar para instalar ela ali.

Notei que agora, quando o sol vai embora, o friozinho se intensifica e isso é tão gostoso. Eu sempre disse que amei inverno, mas acho que, definitivamente, minha estação do ano favorita é o outono. Acho que sentir essa queda de temperatura depois de um verão melado, é a melhor sensação do mundo! 

Nesse momento (2:41h da madrugada) está marcando 10°C, noite limpa a ponto de ouvir perfeitamente o trem passando lá em Serra Alta. Simplesmente delicioso!


(Apesar do meu celular estar marcando 11°C, no site da SAMAE daqui da cidade – que é por onde a gente se orienta se tratando de temperatura principalmente no inverno – está marcando 10°C!)

Vazio.

Apesar da Páscoa ser motivo de felicidade pois Jesus, o nosso Salvador, vive, hoje foi um dia muito, muito triste.

Acordei com a notícia de que o bebê de um aninho de uma amiga que tenho o prazer de conviver principalmente por causa do meu trabalho, veio a falecer. Eu fiquei estática olhando para meu celular, pois ela mesma me contou às 5h e pouco da madrugada, mas só fui ver pelas 9h. Vi, li, mas custei a acreditar. Como assim, meu Deus? Que vazio senti. Tive que acordar meu marido e contar para ele que na hora despertou e ficou abismado. 

Meu domingo não foi alegre, meu domingo foi com meus pensamentos em minha amiga, em seu marido e em sua família. Meu domingo foi marcado pelo abraço que pude dar em minha amiga e seu esposo. Um abraço cheio de dor e pesar. Um abraço que não deveria ter sido dado por um motivo tão triste, tão… Me faltam palavras.

Deus também perdeu um filho e só Ele pode consolá-los em Sua sabedoria. Que Ele olhe por eles e que essa estrelinha no céu possa dar forças a toda família, pois será o brilho de seus olhos e de seu sorriso que iluminará o caminho de seus pais.

A French Girl in New York

Tenho querido ler mais em inglês, até para ler mais e para usar o Kindle que comprei e estava meio de lado, coitado. Aí uni o útil ao agradável e peguei esse livro – o primeiro da série – na loja da Amazon que é grátis (#fikdik).

Acontece que eu devorei e adorei. A história é bem fofa, adoro histórias bacanas que começam com um drama e finalizam bem feliz. Acho que é um livro para adolescentes, mas quem me impede de ler?! Quem também gosta de histórias fofas, recomendo a leitura!

Kindle.

Há pouco mais de um ano eu tive o prazer de pegar num Kindle e me apaixonar. Vendi vários livros e agora amo ler nesse papel digital. 

O meu Kindle é a versão mais simples e me atende perfeitamente. Parece que estou lendo o livro de verdade, a tela não tem brilho e é mega confortável de ler.

O livro da vez que estou devorando e está me fazendo dormir bem tarde é o A French Girl in New York de Anna Adams e sim, estou lendo em inglês para não deixar de praticar e pensar em inglês pelo menos em um momento do meu dia. O livro, pelo que entendi é o Livro Um e não pesquisei quantos outros mais tem, mas é super fofo e recomendo a leitura!